Caburé-de-Pernambuco
 

CABURÉ.JPG

(Glaucidium mooreorum)

Características

Essa é a espécie de uma das corujas mais misteriosas para a ciência. É nativa do Nordeste, porém foi considerada extinta pela lista de espécies ameaçadas do Brasil já que nunca mais foi registrada na natureza desde que foi vista pela última vez em 2001.

Possui 14 cm de comprimento e pesa cerca de 51 g. O animal adulto tem as costas marrom e a barriga e ventre são brancos com estrias marrom-claro. A cabeça é marrom-acinzentada, com pequenos pontilhados branco, já o olho, bico e os dedos são amarelos. Possui duas manchas arredondadas e com aparência de olhos desenhados na parte de trás da cabeça. Essas manchas são chamadas de face occipital e servem para confundir suas presas aumentando as oportunidades de caça.

 

Alimentação

Não se sabe muito sobre a sua alimentação, provavelmente seja a base de insetos grandes, pequenos mamíferos, répteis e aves

 

Reprodução

Não se sabe ao certo, mas esta espécie assim como outros Glaucidium, ele deve formar ninhos em árvores, e costuma vocalizar bastante em estações chuvosas.

 

Distribuição Geográfica

É conhecida apenas por um registro nos anos 90, feito na Reserva Biológica Saltinho em Tamandaré/PE e um no ano de 2001, na Usina Trapiche, em Sirinhaém/PE.

Mapa de distribuição da espécie

​Andreza Silva

Facebook_f_logo_(2019).svg.webp
icone-instagram.png