Nossas Pesquisas

Estamos interessados ​​na ecologia, biogeografia e biologia evolutiva das aves neotropicais e seus biomas. Integraramos esses campos, i) reconhecendo e sintetizando os padrões de distribuição das aves, dando especial atenção às zonas de contato e às quebras filogeográficas; ii) entender como os gradientes ambientais ao longo dos ecótonos definem as distribuições das espécies, afetando padrões de diversidade taxonômica, filogenética e funcional; e iii) Inferir os mecanismos e processos evolutivos que moldaram a distribuição atual das espécies e das comunidades de aves. Para atingir esses objetivos, usamos ferramentas emprestadas de diversas disciplinas, incluindo Sistemas de Informação Geográfica (SIG) e modelagem de nicho ecológico (MNE), ecologia quantitativa e ferramentas moleculares para analisar dados genômicos, incluindo métodos de construção de árvores, filogeografia estatística e genética populacional. A maioria das nossas pesquisas inclui trabalho de campo, onde realizamos pesquisas inventários, obtemos gravações em áudio de vocalizações de aves e coletamos espécimes. Embora realizemos e valorizemos pesquisas exploratória e coletas gerais, nossas pesquisas são orientadas por hipóteses, com desenhos experimentais sólidos baseados em fortes estruturas teóricas.

Biogeografia

Descrever e sintetizar os padrões de distribuição das Aves Neotropicais

A descrição dos padrões de distribuição das espécies está na base de muitas questões centrais em biologia e requer exploração e a capacidade de compilar e sintetizar os dados espaciais disponíveis. No Ornitolab estamos interessados não apenas nas distribuições individuais das espécies, mas particularmente nos padrões de distribuição compartilhados por muitas espécies, o que nos permite buscar processos evolutivos comuns capazes de modelar biotas inteiras.

Ecologia

O efeito dos gradientes ambientais nos padrões de diversidade das aves ao longo de áreas ecotono

Estamos especialmente interessados ​​nos padrões de distribuição das aves ao longo de áreas ecótonos, áreas de transição ambiental frequentemente associadas a gradientes climáticos. As zonas de transição são frequentemente associadas a fatores abióticos (climáticos) ou bióticos (comunidade ou estrutura da vegetação) e têm implicações diretas na distribuição da biota. Quando muitas espécies são afetadas ao mesmo tempo por variáveis ​​ambientais ou biológicas semelhantes, podemos encontrar mudanças nos padrões de riqueza de espécies, assim como na diversidade filogenética e funcional no nível da paisagem.

Biologia Evolutiva

Mecanismos e processos evolutivos definindo o padrão atual da biota Neotropical

Nosso objetivo é entender os processos evolutivos responsáveis ​​pelos padrões atuais de distribuição das aves. Atualmente, estamos investigando este tópico usando abordagens multi-espécies em dois sistemas neotropicais muito diferentes: aves florestais de terra firme no Escudo das Guianas e pares de táxons em duas Florestas Secas Neotropicais, a Caatinga e o Chaco. Estes estudos têm como objetivo testar alguns dos mais antigos modelos de diversificação propostos para a Amazônia e as Florestas Secas Neotropicais, as hipóteses das Barreiras Ribeirinhas e do Arco Pleistocênico.